sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Programação dos cinemas em Goiânia



. Gomorra (comentário no blog)
. Queime depois de ler (comentário no blog)





. Deserto feliz







. Sete Vidas
. A duquesa
. Rede de mentiras (comentário no blog)
. Eu, meu irmão e nossa namorada




. REC
. Crepúsculo
. Entre lençois



* PROGRAMAÇÃO COMPLETA: horários, salas e preços - acesse aqui

* FILMES EM DVD:



. O discreto charme da burguesia, de Luis Buñuel.

8 Comentários

Rodrigo Cássio disse...

Lisandro: Fiquei curioso quanto à sua avaliação de "Deserto feliz". Poderia escrever um pouco a respeito?

Tenho discutido esse filme. Uma das minhas conclusões, até aqui, é que a intenção de narrar uma história de matriz dramática, por meio de uma linguagem que nunca entrega o filme às personagens e ações, acabou prejudicando a obra.

O excesso da "interferência" do diretor impede o realismo. Isso não seria um problema, mas a trama é realista, ao menos em potência. Alguns momentos pouco audaciosos deixam ver essa fragilidade, como naquele diálogo em que duas prostitutas reclamam da falta de perspectivas profissionais. Você também viu isso?

*

Gomorra é muito bom! O melhor em cartaz, sem dúvida.

*

"Queime depois de ler" também é um bom filme. Depois da crise de Hollywood nos anos 1970, talvez seja possível constatar duas tendências que seguem caminhos quase opostos.

Uma delas, é a do cinema originado com Spielberg/Lucas, que foi logo absorvido pelos blockbusters e renovou a indústria. A outra, que os Irmãos Coen representam bem, ainda acredita nas boas narrativas, e mantém uma veia autocrítica da cultura americana, um legado da própria crise dos 1970.

O que você acha?

Bom final de semana!

Marcus Fidelis disse...

Lisandro,

Uma sugestão: que tal encaminhar, em nome dos leitores, um pedido ao cine Lumière para desativar aqueles refletores direcionados sobre a tela, que são ligados junto com a luz geral da sala, ao final do filme, e impedem a leitura dos créditos?

Lisandro Nogueira disse...

Rodrigo, penso q. o cinema brasileiro vive muitos dos mesmos impasses. Um deles: o "filme na lata"(o filme já nasce pago na origem, nos subsídios - o cinesta não precisa se preocupar com o mercado, com biblheteria). O cineasta não tem compromisso com nenhum público específico. Ele quer fazer um filme "diferente", inventivo e, ao mesmo tempo, dialogar com o grande público. "Deserto feliz" é problemático: qual seu lugar? qual seu público? com quem quer dialogar? Gosto muito do Júlio Bressane porque expõe claramente com quem quer dialogar. Seus orçamentos são pequenos e gosta de ter autonomia. "Deserto feliz" quer dialogar com vários públicos e manter o pé na inventividade, na autoria. Obviamente que isso é muito importante e interessante. Mas poucos conseguem: o talento tem que ser extraordinário. A "autoria" tem um preço.
ps: os americanos já demonstraram mais de uma vez as inúmeras possibilidades de produção. Criaram uma indústria forte e estabeleceram um modelo de produção e linguagem. Mas tem tb. um "cinema de ruptura" e os cinemas inventivos dos Coen, Martin e outros.

Lisandro Nogueira disse...

Olá Fidelis, grande Marcão...os cinemas Lumière são a nossa solução: sem eles não teríamos acesso aos filmes das pequenas distribuidoras. Mas os problemas existem: o som de uma sala "invade" a outra, a projeção está "escura" na sala 2 e 1, os atrasos, etc. Além desse problema levantado por você - tb. sério. Já manifestei inúmeras vezes ao proprientário q. o público merece mais atenção.Mas vou renovar nossas queixas e solicitações.

Anônimo disse...

Sobre "Crepúsculo", eu discordo totalmente. Não é um filme que faça o telespectador sair da sala de cinema. Para aqueles que não leram o livro, o filme pode parecer de "sessão da tarde", mas não é. É o começo de uma saga interessante que vale a pena ler. Diferente dos filmes de Woody Allen que de comédia não tem nada, e não entendo a reverência em relação à ele sinceramente. A mesma coisa posso falar de "7 vidas", recentemente Will Smith tem feitos filmes muito bons e está se mostrando um excelente ator a cada nova produção

Anônimo disse...

continuando meu comentário... crepúsculo estava com a sala lotada quando assisti, diferentes do "aclamadíssimo" Woody Allen. E Crepúsculo tem a mesma direção do Filme Aos 13. Foi muito bem dirigido e uma ótima diversão.

bizzz disse...

Só comentando o colega aí de cima...sala cheia não é sinonimo de filme de qualidade, viu!

Anônimo disse...

Bizzz, vc leu o livro por acaso para ter um argumento? Pq muita gente que foi ver Crepúsculo leu o livro e isso chama-se expectativa. Pois já li a saga toda e tenho mais argumento. Esse filme deu muito trabalho para ser feito e considero isso tbm.
As pessimas criticas sempre vem daqueles com pouco argumento.
TODO o filme não importa que seja tem seus defeitos, não há nenhum perfeito.

Leia o livro e depois comente, essa é minha dica.
Sala lotada é apenas um dos pontos importantes.

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo! Participe!

 

Blog do Lisandro © Agosto - 2009 | Por Lorena Gonçalves
Melhor visualizado em 1024 x 768 - Mozilla Firefox ou Google Chrome


^