quinta-feira, 17 de março de 2011

Só precisamos de amor

Só precisamos de amor
Luciene Godoy*


All we need is love.
(The Beatles)
"Tudo que necessitamos é de amor." Eles dizem, eu assino em baixo!

'Repito o que já disse antes: o amor para a psicanálise é um laço. É a relação que construímos com algo ou com alguém. É a história que desenvolvemos ao longo de uma caminhada com suas dificuldades e seus ganhos.

A sociedade de consumo nos desvia desse caminho nos incitando a comprar e comprar; consumir e consumir; pular do recém-adquirido para o próximo. Assim não criamos laços, não usufruímos do melhor que qualquer objeto tem a nos oferecer: o tempo que passamos, que gastamos com ele.

O tempo é uma preciosidade...

Porém, se compro um objeto qualquer já pensando no próximo, não passo nenhum tempo com ele, sabe, assim como acontece com aqueles livros que demoramos lendo, a cada dia saindo de nossa vida cotidiana e entrando na história do livro. Com o tempo e por causa dele, aprendemos a conhecer e ter sentimentos por cada personagem.

Se não houver tempo junto, então eu não vivi com aquele objeto e ele passou por mim, mas não me pertenceu!

O que estou chamando de tempo junto não é carregar sempre o objeto no bolso ou estar sempre com ele por perto. É, isto sim, permanecer com seu desejo pousado sobre ele, contornando-o, degustando-o, como um sorvete que lambemos até o último pingo. É o usufruto, o descobrir todas as possibilidades, todas as "novas posições" para curti-lo antes de, na sua mente, já jogá-lo no lixo, pensando incessantemente no outro sem nem mesmo ter descoberto o que teve. Triste destino... muito desperdício... pouco prazer...
Ao invés de ter tudo, como muitos comerciais nos convencem ser o desejável, adquirimos muito, mas não usufruímos.

Na fúria consumista para tudo ter, acabamos nada tendo a não ser o vazio das tentativas vãs.
Vivemos no vazio, sem uma vida significativa porque sem amor, sempre olhando o que não temos e querendo mais, sem saber o que fazer do que já possuímos, sem dar conta de usufruir.

O que torna um objeto valioso é o envolvimento, o tempo que se passa com ele. É o que cria a intensidade!
O amor é o maior e mais lindo acontecimento da vida! O mais importante também!

Só posso concordar com a música dos Beatles, que também poderia ser traduzida assim: "Só precisamos de amor".

Amar o que temos já é um bom começo.

* Luciene Godoy é psicanalista em Goiânia. Publicado no jornal O Popular 16.03.2010. Foto: Fuente: http://i34.tinypic.com/311qsjp.jpg.

2 Comentários

Marielle Sant'Ana disse...

É como já dizia Nelson Rodrigues: "Amamos objetos e usamos pessoas, enquanto deveríamos usar objetos e amar pessoas".

Anônimo disse...

Wow, wonderful blog layout! How long have you been blogging for?
you made blogging look easy. The overall look of your website
is magnificent, let alone the content!

Take a look at my website: payday loans no faxing
my webpage: cash advance for lawsuits

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo! Participe!

 

Blog do Lisandro © Agosto - 2009 | Por Lorena Gonçalves
Melhor visualizado em 1024 x 768 - Mozilla Firefox ou Google Chrome


^